Imbassaí

O ENCONTRO MÁGICO ENTRE O RIO E O MAR

Quem vai a Imbassaí se acha também um descobridor deste lugar singular no KM 65 da Linha Verde, dentro da APA (Área de Proteção Ambiental) Litoral Norte. É aqui que o Rio Barroso, muitas vezes confundido com o Rio Imbassaí, vem se encontrar com o mar, depois de correr tantas terras.

Aliás, a vinda para esse encontro deu nome ao lugar: Imbassaí, quer dizer “caminho do rio”, como chamavam os índios tupis. Mas não é só o Rio Barroso que vem aqui desaguar. Vários outros caminhos de água doce escorrem em cascatas e corredeiras, paralelos às dunas, até encontrar o mar.

Imbassaí também é o nome da vila de pescadores que se tornou um povoado de Açu da Torre, no Município de Mata de São João. A história desse povoado começa com a construção de uma pequena igreja em louvor a Nossa Senhora das Dores. A igrejinha ainda está de pé ali, na primeira entrada de Imbassaí. É prova da promessa cumprida pelo antigo dono da fazenda que se estendia por Imbassaí. Ele conseguira a documentação definitiva da terra, que mais tarde, dividiu em lotes como está, até hoje.

Segundo dados meteorológicos, o clima de Imbassaí é quente e úmido com temperaturas médias de 24o a 26o C. Na verdade, Imbassaí é quente, mas uma brisa constante vem do oceano e torna o clima sempre agradável. E até quando chove Imbassaí é lindo e desconhece o frio. É um período ótimo para programar um encontro de trabalho no Salão Jauara da Pousada Bichelenga, um lugar onde ninguém vai incomodar.

Imbassaí possui seis quilômetros de praias margeadas por dunas elevadas. Entre o mar azul e o rio que corre fica difícil decidir entre o mergulho salgado e o doce. Barracas se espalham na faixa de areia entre a praia e o rio, oferecendo bebidas geladas e tira-gostos de peixe frito e mariscos, além do tradicional acarajé nos tabuleiros das baianas. Chega-se ao mar atravessando este rio andando (quando está baixo o nível do rio), a nado, senão por pequenas pontes ou barquinhos.